terça-feira, 22 de maio de 2012

Liturgia Diária - Evangelho, Salmo e Santo do dia

Reinos da terra cantai ao Senhor. Sl 67

Ano B – Dia: 23/05/2012
R. Reinos da terra cantai ao Senhor.
29Suscitai, ó Senhor Deus, suscitai vosso poder,
confirmai este poder que por nós manifestastes,

30a partir de vosso templo, que está em Jerusalém,
para vós venham os reis e vos ofertem seus presentes!

R. Reinos da terra cantai ao Senhor.

33Reinos da terra, celebrai o nosso Deus, cantai-lhe salmos!

34Ele viaja no seu carro sobre os céus dos céus eternos.
Eis que eleva e faz ouvir a sua voz, voz poderosa.

35a’Dai glória a Deus e exaltai o seu poder por sobre as nuvens.

R. Reinos da terra cantai ao Senhor.

35bSobre Israel, eis sua glória e sua grande majestade!

36aEm seu templo ele é admirável.
36bE a seu povo dá poder.
36cBendito seja o Senhor Deus.

R. Reinos da terra cantai ao Senhor.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo, como era no principio, agora e sempre . Amém!



São João Batista de Rossi


23 de maio

João Batista de Rossi nasceu no dia 22 de fevereiro de 1698, em Voltagio, na província de Gênova, Itália. Aos dez anos, foi trabalhar para uma família muito rica em Gênova como pajem, para poder estudar e manter-se. Três anos depois, transferiu-se, definitivamente, para Roma, morando na casa de um primo que já era sacerdote e estudando no Colégio Romano dos jesuítas. Lá se doutorou em filosofia, convivendo com os melhores e mais preparados de sua geração de clérigos. Depois, os cursos de teologia ele concluiu com os dominicanos de Minerva.

A todo esse esforço intelectual João Batista acrescentava uma excessiva carga de atividade evangelizadora, mesmo antes de ser ordenado sacerdote, junto aos jovens e às pessoas abandonadas e pobres. Com isso, teve um esgotamento físico e psicológico tão intenso que desencadearam os ataques epiléticos e uma grave doença nos olhos. Nunca mais se recuperou e teve de conviver com essa situação o resto da vida. Contudo ele nunca deixou de praticar a penitência, concentrada na pouca alimentação, minando ainda mais seu frágil organismo.

Recebeu a unção sacerdotal em 1721. Nessa ocasião, devido à experiência adquirida na direção dos grupos de estudantes, decidiu fundar a Pia União de Sacerdotes Seculares, que dirigiu durante alguns anos. Por lá, até o final de 1935, passaram ilustres personalidades do clero romano, alguns mais tarde a Igreja canonizou e outros foram eleitos para dirigi-la.

Entretanto João Batista queria uma obra mais completa, por isso fundou e também dirigiu a Casa de Santa Gala, para rapazes carentes, e a Casa de São Luiz Gonzaga, para moças carentes. Aliás, esse era seu santo preferido e exemplo que seguia no seu apostolado.

O seu rebanho eram os mais pobres, doentes, encarcerados e pecadores. Tinha o dom do conselho, era atencioso e paciente com todos os fiéis, que formavam filas para se confessarem com ele. O tom de consolação, exortação e orientação com que tratava seus penitentes atraía cristãos de toda a cidade e de outras vizinhanças. João Batista era incansável, dirigia tudo com doçura e firmeza, e onde houvesse necessidade de algum socorro ali estava ele levando seu fervor e força espiritual.

Quando seu primo cônego morreu, ele foi eleito para sucedê-lo em Santa Maria, em Cosmedin, Roma. Mas acabou sendo dispensado da obrigação do coro para poder dedicar-se com maior autonomia aos seus compromissos apostólicos.

Aos sessenta e seis anos de idade, a doença finalmente o venceu e ele morreu no dia 23 de maio de 1764, tão pobre que seu enterro foi custeado pela caridade dos devotos. João Batista de Rossi foi canonizado pelo papa Leão XIII em 1881, que marcou sua celebração para o dia de sua morte.

São João Batista de Rossi, rogai por nós!




Para que eles sejam um assim como nós somos um . Jo 17,11b-19 


Ano B – Dia: 23/05/2012

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo escrito por João 17,11b-19
Jesus ergueu os olhos ao céu e disse:

11b ‘Pai santo, guarda-os em teu nome,
o nome que me deste,
para que eles sejam um
assim como nós somos um.

12 Quando eu estava com eles,
guardava-os em teu nome,
o nome que me deste.
Eu guardei-os e nenhum deles se perdeu,
a não ser o filho da perdição,
para se cumprir a Escritura.

13 Agora, eu vou para junto de ti,
e digo estas coisas, estando ainda no mundo,
para que eles tenham em si
a minha alegria plenamente realizada.

14 Eu lhes dei a tua palavra,
mas o mundo os rejeitou,
porque não são do mundo,
como eu não sou do mundo.

15 Não te peço que os tires do mundo,
mas que os guardes do Maligno.

16 Eles não são do mundo,
como eu não sou do mundo.

17 Consagra-os na verdade;
a tua palavra é verdade.

18 Como tu me enviaste ao mundo,
assim também eu os enviei ao mundo.

19 Eu me consagro por eles,
a fim de que eles também sejam consagrados na verdade’.

Palavra da Salvação.




Leitura dos Atos dos Apóstolos . (20,28-38)

Ano B – Dia: 23/05/2012
Entrego-vos a Deus e à mensagem de sua graça,
que tem poder para edificar.
Leitura dos Atos dos Apóstolos 20,28-38

Paulo disse aos anciãos da Igreja de Éfeso:

28Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho,
sobre o qual o Espírito Santo vos colocou como guardas,
para pastorear a Igreja de Deus,
que ele adquiriu com o sangue do seu próprio Filho.

29Eu sei, depois que eu for embora,
aparecerão entre vós lobos ferozes,
que não pouparão o rebanho.

30Além disso, do vosso próprio meio aparecerão homens
com doutrinas perversas
que arrastarão discípulos atrás de si.

31Por isso, estai sempre atentos:
lembrai-vos que durante três anos,
dia e noite, com lágrimas,
não parei de exortar a cada um em particular.

32Agora entrego-vos a Deus e à mensagem de sua graça,
que tem poder para edificar
e dar a herança a todos os que foram santificados.

33Não cobicei prata, ouro ou vestes de ninguém.

34Vós bem sabeis que estas minhas mãos providenciaram
o que era necessário para mim e para os que estavam comigo.

35Em tudo vos mostrei que, trabalhando deste modo,
se deve ajudar os fracos,
recordando as palavras do Senhor Jesus,
que disse: ‘Há mais alegria em dar do que em receber’.’

36Tendo dito isto,
Paulo ajoelhou-se e rezou com todos eles.

37Todos, depois, prorromperam em grande pranto e,
lançando-se ao pescoço de Paulo, o beijavam,

38aflitos, sobretudo por lhes haver ele dito
que não tornariam a ver-lhe o rosto.
E o acompanharam até o navio.

Palavra do Senhor.

0 comentários :