terça-feira, 29 de maio de 2012

Liturgia Diária - Evangelho, Salmo e Santo do dia

30/05 /2012

Santa Joana d’Arc


30 de maio

Filha de Jaques d’Arc e Isabel, camponeses muito pobres, Joana nasceu em Domrémy, na região francesa de Lorena, em 6 de janeiro de 1412. Cresceu no meio rural, piedosa, devota e analfabeta, assinava seu nome utilizando uma simples, mas significativa, cruz. Significativa porque já aos treze anos começou a viver experiências místicas.

Ouvia as “vozes” do arcanjo Miguel, das santas Catarina de Alexandria e Margarida de Antioquia, avisando que ela teria uma importante missão pela frente e deveria preparar-se para ela. Os pais, no início, não deram importância , depois acharam que estava louca e por fim acreditaram, mas temeram por Joana.

A França vivia a Guerra dos Cem Anos com a Inglaterra, governada por Henrique VI. Os franceses estavam enfraquecidos com o rei deposto e os ingleses tentando firmar seus exércitos para tomar de vez o trono. As mensagens que Joana recebia exigiam que ela expulsasse os invasores, reconquistasse a cidade de Orleans e reconduzisse ao trono o rei Carlos VII, para ser coroado na catedral de Reims, novamente como legítimo rei da França. A ordem para ela não parecia impossível, bastava cumpri-la, pois tinha certeza de que Deus estava a seu lado. O problema maior era conseguir falar pessoalmente com o rei deposto.

Conseguiu aos dezoito anos de idade. Carlos VII só concordou em seguir seus conselhos quando percebeu que ela realmente tinha por trás de si o sinal de Deus. Isso porque Joana falou com o rei sobre assuntos que na verdade eram segredos militares e de Estado, que ninguém conhecia, a não ser ele. Deu-lhe, então, a chefia de seus exércitos. Joana vestiu armadura de aço, empunhou como única arma uma bandeira com a cruz e os nomes de Jesus e Maria nela bordados, chamando os comandantes à luta pela pátria e por Deus.

E o que aconteceu na batalha que teve aquela figura feminina, jovem e mística, que nada entendia de táticas ou estratégias militares, à frente dos soldados, foi inenarrável. Os franceses sitiados reagiram e venceram os invasores ingleses, livrando o país da submissão.

Carlos VII foi, então, coroado na catedral de Reims, como era tradição na realeza francesa.

A luta pela reconquista demorara cerca de um ano e ela desejava voltar para sua vida simples no campo. Mas o rei exigiu que ela continuasse comandando os exércitos na reconquista de Paris. Ela obedeceu, mas foi ferida e também traída, sendo vendida para os ingleses, que decidiram julgá-la por heresia. Num processo religioso grotesco, completamente ilegal, foi condenada à fogueira como “feiticeira, blasfema e herética”. Tinha dezenove anos e morreu murmurando os nomes de Jesus e Maria, em 30 de maio de 1431, diante da comoção popular na praça do Mercado Vermelho, em Rouen.

Não fossem os fatos devidamente conhecidos e comprovados, seria difícil crer na existência dessa jovem mártir, que sacrificou sua vida pela libertação de sua pátria e de seu povo. Vinte anos depois, o processo foi revisto pelo papa Calisto III, que constatou a injustiça e a reabilitou. Joana d’Arc foi canonizada em 1920 pelo papa Bento XV, sendo proclamada padroeira da França. O dia de hoje é comemorado na França como data nacional, em memória de santa Joana d’Arc, mártir da pátria e da fé.

Santa Joana d’Arc, rogai por nós!



Honrarias? Ou critérios do Reino? . Mc 10,32-45 


Ano B – Dia: 30/05/2012
Eis que estamos subindo para Jerusalém,
e o Filho do Homem vai ser entregue.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 10,32-45
 
32Os discípulos estavam a caminho
subindo para Jerusalém.
Jesus ia na frente.
Os discípulos estavam espantados,
e aqueles que iam atrás estavam com medo.
Jesus chamou de novo os Doze à parte
e começou a dizer-lhes o que estava para acontecer com ele:

33‘Eis que estamos subindo para Jerusalém,
e o Filho do Homem vai ser entregue
aos sumos sacerdotes e aos doutores da Lei.
Eles o condenarão à morte e o entregarão aos pagãos.

34Vão zombar dele, cuspir nele, vão torturá-lo e matá-lo.
E depois de três dias ele ressuscitará.’

35Tiago e João, filhos de Zebedeu,
foram a Jesus e lhe disseram:
‘Mestre, queremos que faças por nós o que vamos pedir.’

36Ele perguntou:
‘O que quereis que eu vos faça?’

37Eles responderam:
‘Deixa-nos sentar um à tua direita e outro à tua esquerda,
quando estiveres na tua glória!’

38Jesus então lhes disse:
‘Vós não sabeis o que pedis.
Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?
Podeis ser batizados com o batismo
com que vou ser batizado?’

39Eles responderam: ‘Podemos.’
E ele lhes disse:
‘Vós bebereis o cálice que eu devo beber,
e sereis batizados com o batismo
com que eu devo ser batizado.

40Mas não depende de mim conceder
o lugar à minha direita ou à minha esquerda.
É para aqueles a quem foi reservado’.

41Quando os outros dez discípulos ouviram isso,
indignaram-se com Tiago e João.

42Jesus os chamou e disse:
‘Vós sabeis que os chefes das nações as oprimem
e os grandes as tiranizam.

43Mas, entre vós, não deve ser assim:
quem quiser ser grande, seja vosso servo;

44e quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos.

45Porque o Filho do Homem não veio para ser servido,
mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos.’

Palavra da Salvação.



Glorifica o Senhor, Jerusalém! . Sl 147

Ano B – Dia: 30/05/2012
Sl 147,12-13. 14-15. 19-20 (R. 12a)
R. Glorifica o Senhor, Jerusalém!

12 Glorifica o Senhor, Jerusalém!
Ó Sião, canta louvores ao teu Deus!
13 Pois reforçou com segurança as tuas portas,
e os teus filhos em teu seio abençoou.

R. Glorifica o Senhor, Jerusalém!

14a paz em teus limites garantiu
e te dá como alimento a flor do trigo.
15 Ele envia suas ordens para a terra,
e a palavra que ele diz corre veloz

R. Glorifica o Senhor, Jerusalém!

19 Anuncia a Jacó sua palavra,
seus preceitos suas leis a Israel!
20 Nenhum povo recebeu tanto carinho,
a nenhum outro revelou os seus preceitos.

R. Glorifica o Senhor, Jerusalém!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo, como era no principio, agora e sempre . Amém!



Leitura . (1Pedro 1,18-25)

Ano B – Dia: 30/05/2012
Leitura da Primeira Carta de São Pedro 

18Sabeis que fostes resgatados da vida fútil herdada de vossos pais, não por meio de coisas perecíveis, como a prata ou o ouro,

19mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem mancha nem defeito.

20Antes da criação do mundo, ele foi destinado para isso, e neste final dos tempos, ele apareceu, por amor de vós.

21Por ele é que alcançastes a fé em Deus. Deus o ressuscitou dos mortos e lhe deu a glória, e assim, a vossa fé e esperança estão em Deus.

22Pela obediência à verdade, purificastes as vossas almas, para praticar um amor fraterno sem fingimento. Amai-vos, pois, uns aos outros, de coração e com ardor.

23Nascestes de novo, não de uma semente corruptível, mas incorruptível, mediante a palavra de Deus, viva e permanente.

24Com efeito, ’toda carne é como erva, e toda a sua glória como a flor da erva; secou-se a erva, cai a sua flor.

25Mas a palavra do Senhor permanece para sempre.’ Ora, esta palavra é a que vos foi anunciada no Evangelho.

Palavra do Senhor.

Graças a Deus.

0 comentários :