quinta-feira, 7 de junho de 2012

Liturgia Diária - Evangelho, Salmo e Santo do dia

Corpus Christi . Mc 14,12-16.22-26


Ano B – Dia: 07/06/2012
Isto é meu corpo. Isto é meu sangue
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 14,12-16.22-26
 
12No primeiro dia dos Ázimos,
quando se imolava o cordeiro pascal,
os discípulos disseram a Jesus:
‘Onde queres que façamos os preparativos
para comeres a Páscoa?’

13Jesus enviou então dois dos seus discípulos
e lhes disse: ‘Ide à cidade.
Um homem carregando um jarro de água
virá ao vosso encontro. Segui-o

14e dizei ao dono da casa em que ele entrar:
‘O Mestre manda dizer: onde está a sala
em que vou comer a Páscoa com os meus discípulos?’

15Então ele vos mostrará, no andar de cima,
uma grande sala, arrumada com almofadas.
Ali fareis os preparativos para nós!’

16Os discípulos saíram e foram à cidade.
Encontraram tudo como Jesus havia dito,
e prepararam a Páscoa.

22Enquanto comiam, Jesus tomou o pão
e, tendo pronunciado a bênção,
partiu-o e entregou-lhes, dizendo:
‘Tomai, isto é o meu corpo’.

23Em seguida, tomou o cálice, deu graças,
entregou-lhes e todos beberam dele.

24Jesus lhes disse:
‘Isto é o meu sangue, o sangue da aliança,
que é derramado em favor de muitos.

25Em verdade vos digo,
não beberei mais do fruto da videira,
até o dia em que beberei o vinho novo
no Reino de Deus’.

26Depois de terem cantado o hino,
foram para o monte das Oliveiras.

Palavra da Salvação.

Elevo o cálice da minha salvação, invocando o nome santo do Senhor. Sl 115

Ano B – Dia: 07/06/2012
R. Elevo o cálice da minha salvação,
invocando o nome santo do Senhor.
12Que poderei retribuir ao Senhor Deus
por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
13Elevo o cálice da minha salvação,
invocando o nome santo do Senhor.

R. Elevo o cálice da minha salvação,
invocando o nome santo do Senhor.

15É sentida por demais pelo Senhor
a morte de seus santos, seus amigos.
16bEis que sou o vosso servo, ó Senhor,
que nasceu de vossa serva;
16cmas me quebrastes os grilhões da escravidão!

R. Elevo o cálice da minha salvação,
invocando o nome santo do Senhor.

17Por isso oferto um sacrifício de louvor,
invocando o nome santo do Senhor.
18Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido.

R. Elevo o cálice da minha salvação,
invocando o nome santo do Senhor.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo, como era no principio, agora e sempre . Amém!

Leitura do Livro do Êxodo . (24,3-8)

Ano B – Dia: 07/06/2012
Este é o sangue da aliança que o Senhor fez convosco.
Leitura do Livro do Êxodo 24,3-8

3Moisés veio e transmitiu ao povo
todas as palavras do Senhor e todos os decretos.
O povo respondeu em coro:
‘Faremos tudo o que o Senhor nos disse’.

4Então Moisés escreveu todas as palavras do Senhor.
Levantando-se na manhã seguinte,
ergueu ao pé da montanha
um altar e doze marcos de pedra
pelas doze tribos de Israel.

5Em seguida, mandou alguns jovens israelitas
oferecer holocaustos e imolar novilhos
como sacrifícios pacíficos ao Senhor.

6Moisés tomou metade do sangue e o pôs em vasilhas,
e derramou a outra metade sobre o altar.

7Tomou depois o livro da aliança
e o leu em voz alta ao povo, que respondeu:
‘Faremos tudo o que o Senhor disse e lhe obedeceremos’.

8Moisés, então, com o sangue separado,
aspergiu o povo, dizendo:
‘Este é o sangue da aliança, que o Senhor fez convosco,
segundo todas estas palavras’.

Palavra do Senhor.

Santo Antônio Maria Gianelli 


7 de junho

Antônio Maria Gianelli nasceu em Cereta, perto de Chiavari, na Itália, no dia 12 de abril de 1789, ano da Revolução Francesa. A seu modo, foi também um revolucionário, pois sacudiu as instituições da Igreja no período posterior ao “furacão” Napoleão Bonaparte.

Sua família era de camponeses pobres e nesse ambiente humilde aprendeu a caridade, o espírito de sacrifício, a capacidade de dividir com o próximo. Desde pequeno era muito assíduo à sua paróquia e foi educado no seminário de Genova, onde ingressou em 1807.

Aos vinte e três anos estava formado e ordenado sacerdote. Lecionou letras e retórica e sua primeira obra a impressionar o clero foi um recital organizado para recepcionar o novo bispo de Genova, monsenhor Lambruschini. Intitulou o recital de “Reforma do Seminário”. Assim, tranqüilo, direto e com poucos rodeios; defendia a nova postura na formação de futuros sacerdotes. A repercussão foi imediata e frutificou durante todo o período da restauração pós-napoleônica.

Entre os anos de 1826 e 1838 foi o pároco da igreja de Chiavari, onde continuou intervindo com inovações pastorais e a fundação de várias instituições, entre elas seu próprio seminário. Em 1827, criou uma pequena congregação missionária para sacerdotes, que colocou sob a proteção de santo Afonso Maria de Ligório, destinada a aprimorar o apostolado da pregação ao povo e à organização do clero.

Depois, fundou uma feminina , de caráter beneficente, cultural e assistencial, para a qual deu um nome pouco comum, “Sociedade Econômica”, e entregou-a às damas da caridade, destinada à educação gratuita das meninas carentes. Era, na verdade, o embrião da congregação religiosa que seria fundada em 1829, as “Filhas de Maria Santíssima do Horto”, depois chamadas de “Irmãs Gianellinas”.

Em 1838, foi nomeado bispo de Bobbio. Com a ajuda dos “padres ligorianos”, reorganizou sua própria diocese, punindo padres pouco zelosos e até mesmo expulsando os indignos.

Também reconstituiu a pequena congregação com o nome de “Oblatos de Santo Afonso Maria de Ligório”.

Aos cinqüenta e sete anos, morreu no dia 7 de junho de 1846, em Piaceza. Na obra escrita que deixou, expõe seu pensamento “revolucionário”: a moralidade do clero na vida simples e reta de trabalho no seguimento de Cristo.

Reacionária para aqueles tempos tão corrompidos pelo fausto napoleônico das cortes que oprimiam o povo cada vez mais miserável. Portanto um tema atual, que deve ser lembrado, sempre, nas sociedades de qualquer tempo.

Antônio Maria Gianelli foi canonizado por Pio XII em 1951 e suas instituições femininas ainda hoje florescem, principalmente na América Latina. Por esse motivo é chamado de o “Santo das Irmãs”.

Santo Antonio Maria Gianelli, rogai por nós!

0 comentários :