domingo, 8 de julho de 2012

Liturgia Diária - Evangelho, Salmo e Santo do dia

Os nossos olhos, estão fitos no Senhor: Sl 122

Ano B – Dia: 08/07/2012
Sl 122,1-2a.2bcd.3-4
R.Os nossos olhos, estão fitos no Senhor:
tende piedade, ó Senhor tende piedade!

Eu levanto os meus olhos para vós,
que habitais nos altos céus.
2a Como os olhos dos escravos estão fitos
nas mãos do seu senhor.

R.Os nossos olhos, estão fitos no Senhor:

2b como os olhos das escravas estão fitos
nas mãos de sua senhora,
2c assim os nossos olhos, no Senhor,
2d até de nós ter piedade.

R.Os nossos olhos, estão fitos no Senhor:

Tende piedade, ó Senhor, tende piedade;
já é demais esse desprezo!
Estamos fartos do escárnio dos ricaços
e do desprezo dos soberbos!

R.Os nossos olhos, estão fitos no Senhor:

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo, como era no principio, agora e sempre . Amém!


Eugênio III, bem-aventurado 


8 de julho

O papa Eugênio III nasceu em Montemagno, numa família cristã, rica e da nobreza italiana. Foi batizado com o nome de Píer Bernardo Paganelli, estudou e recebeu a ordenação sacerdotal na diocese de Pisa, centro cultural próximo da sua cidade natal.

Possuía um temperamento reservado, era inteligente, muito ponderado e calmo. Segundo os registros da época, em 1130 ele teve um encontro com o religioso Bernardo de Claraval, fundador da Ordem dos Monges Cistercienses e hoje um santo da Igreja. A afinidade entre ambos foi tão grande que, cinco anos depois, Píer Bernardo ingressou no mosteiro dirigido pelo amigo e vestiu o hábito cisterciense.

Através da convivência com Bernardo de Claraval, ele se tornou conhecido, pois foi escolhido para abrir um outro mosteiro da Ordem em Farfa, diocese de Viterbo, sendo consagrado o abade pelo papa Inocêncio II. Quando esse papa morreu, o abade Píer Bernardo foi eleito sucessor.

Isto ocorreu não por acaso, ele era o homem adequado para enfrentar a difícil e delicada situação que persistia na época. Roma estava agitada e às voltas com graves transtornos provocados, especialmente, pelo líder político Arnaldo de Bréscia e outros republicanos que exigiam que fosse eleito um papa que forçasse a entrega do poder político ao seu partido. Muitas casas de bispos e cardeais já tinham sido saqueadas. Por isso os cardeais resolveram escolher o abade Píer Bernardo, justamente porque ele estava fora do colégio cardinalício, portanto isento das pressões dos republicanos.

Ele assumiu o pontificado com o nome de papa Eugênio III. Mas teve de fugir de Roma à noite, horas após sua eleição, para ser coroado no mosteiro de Farfa, em Viterbo. Era o dia 18 de fevereiro de 1145. Como a situação da cidade não era segura, o novo papa e seus cardeais decidiram mudar para Viterbo. Quando a população romana foi informada, correu para pedir sua volta. Foi assim, apoiado pelo povo, que o papa Eugênio III retornou para Roma e assumiu o controle da cidade, impondo a paz. Infelizmente, durou pouco.

Em 1146, Arnaldo passou a exigir a destruição total de Trívoli. Novamente o papa Eugênio III teve de fugir. Como se recusou a comandar o massacre, ele corria risco de morte. Teve de atravessar os Alpes para ingressar na França, onde permaneceu exilado por três anos.

Os conflitos não paravam, o povo estava sempre nas ruas, liderado por Arnaldo, e o papa teve de ser duro com os insubordinados da Igreja que se aproveitavam da situação. Nesse período, convocou quatro concílios para impor disciplina. Também depôs os arcebispos de York e Mainz; promoveu uma séria reforma na Igreja e na Cúria Romana em defesa da ortodoxia nos estudos eclesiásticos. Enviou o cardeal Breakspear, o futuro papa Adriano IV, para divulgá-la na Escandinávia, enquanto ele próprio ainda o fazia percorrendo o norte da Itália.

Só retornou a Roma depois de receber ajuda do imperador alemão Frederico Barba-Roxa, contra os republicanos de Arnaldo. Ainda pôde defender a Igreja contra os invasores turcos e iniciar a construção do palácio pontifício. Morreu no dia 8 de julho de 1153, depois de governar a Igreja por oito anos e cinco meses, num período tão complicado e violento da história. O papa Eugênio III foi beatificado em 1872.

Bem-aventurado Eugênio III, rogai por nós!


Leitura da Profecia de Ezequiel . (2,2-5)

Ano B – Dia: 08/07/2012
São um bando de rebeldes, e ficarão
sabendo que houve entre eles um profeta.
Leitura da Profecia de Ezequiel 2,2-5

2Depois de me ter falado,
entrou em mim um espírito que me pôs de pé.
Então, eu ouvi aquele que me falava,

3o qual me disse:
‘Filho do homem,
eu te envio aos israelitas, nação de rebeldes,
que se afastaram de mim.
Eles e seus pais se revoltaram contra mim
até ao dia de hoje.

4A estes filhos de cabeça dura e coração de pedra,
vou-te enviar, e tu lhes dirás:
‘Assim diz o Senhor Deus.`

5Quer te escutem, quer não
- pois são um bando de rebeldes -
ficarão sabendo que houve entre eles um profeta’.

Palavra do Senhor.

0 comentários :