segunda-feira, 16 de julho de 2012

Liturgia Diária - Evangelho, Salmo e Santo do dia

Como ser da família de Jesus? . Mt 12,46-50


Ano B – Dia: 16/07/2012
E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse:
‘Eis minha mãe e meus irmãos.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 12,46-50
 
46Enquanto Jesus estava falando às multidões,
sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora,
procurando falar com ele.

47Alguém disse a Jesus:
‘Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora,
e querem falar contigo.’

48Jesus perguntou àquele que tinha falado:
‘Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?’

49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse:
‘Eis minha mãe e meus irmãos.

50Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai,
que está nos céus,
esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.’

Palavra da Salvação. 


Bartolomeu Fernandes dos Mártires, bem-aventurado 


16 de julho

Bartolomeu nasceu em Lisboa, em maio de 1514. Era filho de Domingos Fernandes e de Maria Correia, ambos de famílias tradicionais, abastadas e nobres. O filho foi batizado com o nome do santo apóstolo na igreja de Nossa Senhora dos Mártires e, por serem seus devotos, incluíram também o “dos Mártires” para homenagear Maria.

Foi educado na Corte portuguesa com muito requinte, recebeu sólida formação humanística e cristã. Cedo decidiu pela vida religiosa, ingressando na Ordem dos Dominicanos em 1528. Fez o noviciado no mosteiro de Lisboa, onde se diplomou em filosofia e teologia. Desde sua graduação, em 1538, foi professor nos vários conventos da capital da Corte, função que exerceu durante vinte anos.

Foi apresentado pela rainha Catarina para suceder o arcebispo de Braga e o papa Paulo IV confirma-o, em 1559. Bartolomeu aceitou essa dignidade por obediência ao seu prior provincial, o qual o teria indicado antes à rainha, de quem era conselheiro e confessor.

Iniciou a sua atividade na vastíssima arquidiocese empreendendo uma atividade apostólica de ação multifacetada e de cunho reformador. Realizou incontáveis visitas pastorais; empenhou-se na evangelização do povo, para isso publicando o “Catecismo ou doutrina cristã e práticas espirituais”, que continua sendo editado. Atento e solicito à cultura e santificação do clero, instituiu aulas de teologia moral em vários locais da diocese e escreveu cerca de trinta obras doutrinais, cujas publicações atingiram o terceiro milênio. Uma que mereceu particular importância foi o “Stimulus pastorum”, distribuída aos padres dos Concílios Vaticano I e II, e que foi editada mais de vinte vezes.

Esse empenho reformador o bispo Bartolomeu dos Mártires imprimiu, também, em espaços estruturais e durante toda a sua vida. Em 1560, confiou aos padres jesuítas o ensino público a cargo da arquidiocese de Braga, o que originou o excelente Colégio de São Paulo.
No ano seguinte, construiu o Convento da Santa Cruz na cidade de Viana do Castelo.

Participou no Concílio de Trento, de 1561 a 1563, onde apresentou mais de duzentas e sessenta petições como síntese das interpelações de reforma para a Igreja. Solidificou ainda mais a marca do grande reformador que era, quando, no ano seguinte, efetuou, em Braga, um sínodo diocesano, e, depois de dois anos, um outro, provincial.

Foi ele também que, entre 1571 e1572, idealizou e iniciou a construção do Seminário Conciliar no Campo da Vinha. Nesse ano, decidiu renunciar ao arcebispado de Braga. Foi para o Convento da Santa Cruz, onde se manteve recolhido, dedicando-se aos estudos eclesiásticos e à pregação até morrer, em 16 de julho de 1590. Reconhecido e aclamado pelo povo por sua santidade como pai dos pobres e dos enfermos, seu túmulo encontra-se na antiga igreja dominicana em Viana do Castelo, Portugal.

O papa João Paulo II proclamou-o, em 2001, bem-aventurado Bartolomeu Fernandes dos Mártires, no dia litúrgico de são Carlos Borromeu, com quem o bem-aventurado trabalhou, arduamente, na concretização dos objetivos do Concilio de Trento.

Bartolomeu Fernandes dos Mártires, rogai por nós!


Leitura . (Zacarias 2,14-17)

Ano B – Dia: 16/07/2012
Leitura da Profecia de Zacarias 

14`Rejubila, alegra-te, cidade de Sião, eis que venho para habitar no meio de ti, diz o Senhor.

15Muitas naçðes se aproximarão do Senhor, naquele dia, e serão o seu povo. Habitarei no meio de ti, e saberás que o Senhor dos exércitos me enviou a ti.

16O Senhor entrará em posse de Judá, como sua porção na terra santa, e escolherá de novo Jerusalém.

17Emudeça todo mortal diante do Senhor, ele acaba de levantar-se de sua santa habitação’.

Palavra do Senhor.

Graças a Deus.


O Senhor se lembrou de mostrar sua bondade. Lc 1

Ano B – Dia: 16/07/2012
Lc 1,46-47. 48-49. 50-51. 52-53. 54-55
R. O Senhor se lembrou de mostrar sua bondade.
46 A minh’alma engrandece ao Senhor,
47 e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador,

R. O Senhor se lembrou de mostrar sua bondade.

48 pois, ele viu a pequenez de sua serva,
eis que agora as gerações hão de chamar-me de bendita.
49 O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!

R. O Senhor se lembrou de mostrar sua bondade.

50 Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam.
51 Demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos.

R. O Senhor se lembrou de mostrar sua bondade.

52 Derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou.
53 De bens saciou os famintos
e despediu, sem nada, os ricos.

R. O Senhor se lembrou de mostrar sua bondade.

54 Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,
55 como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

R. O Senhor se lembrou de mostrar sua bondade.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo, como era no principio, agora e sempre . Amém!

0 comentários :