quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Liturgia Diária - Evangelho, Salmo e Santo do dia

Leitura do Livro do Profeta Jeremias . (18,1-6)

Ano B – Dia: 02/08/2012
Como é o barro na mão do oleiro,
assim sois vós em minha mão.
Leitura do Livro do Profeta Jeremias 18,1-6

1Palavra dirigida a Jeremias, da parte do Senhor:

2′Levanta-te e vai à casa do oleiro,
e ali te farei ouvir minhas palavras’.

3Fui à casa do oleiro,
e eis que ele estava trabalhando ao torno;

4quando o vaso que moldava com barro
se avariava em suas mãos,
ei-lo de novo a fazer com esse material um outro vaso,
conforme melhor lhe parecesse aos olhos.

5Fez-se em mim a palavra do Senhor:

6′Acaso não posso fazer convosco como este oleiro,
casa de Israel? diz o Senhor.
Como é o barro na mão do oleiro,
assim sois vós em minha mão, casa de Israel.

Palavra do Senhor.


Verdades novas e verdades velhas – Mt 13,47-53 


Ano B – Dia: 02/08/2012
Recolhem os peixes bons em cestos
e jogam fora os que não prestam.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 13,47-53
Disse Jesus à multidão:

47O Reino dos Céus é ainda
como uma rede lançada ao mar
e que apanha peixes de todo tipo.

48Quando está cheia,
os pescadores puxam a rede para a praia,
sentam-se e recolhem os peixes bons em cestos
e jogam fora os que não prestam.

49Assim acontecerá no fim dos tempos:
os anjos virão para separar
os homens maus dos que são justos,

50e lançarão os maus na fornalha de fogo.
E ai, haverá choro e ranger de dentes.

51Compreendestes tudo isso?’
Eles responderam: ‘Sim.’

52Então Jesus acrescentou:
‘Assim, pois, todo mestre da Lei,
que se torna discípulo do Reino dos Céus,
é como um pai de família
que tira do seu tesouro coisas novas e velhas.’

53Quando Jesus terminou de contar essas parábolas,
partiu dali.

Palavra da Salvação. 



Santo Eusébio de Vercelli 


2 de agosto

Eusébio nasceu na ilha da Sardenha, no ano 283. Depois da morte do seu pai, em testemunho da fé em Cristo, durante a perseguição do imperador Diocleciano, sua mãe levou-o para completar os estudos eclesiásticos em Roma. Assim, muito jovem, Eusébio entrou para o clero, sendo ordenado sacerdote. Aos poucos, foi ganhando a admiração do povo cristão e do papa Júlio I, que o consagrou bispo da diocese de Vercelli em 345.

Nessa condição, participou do Concílio de Milão em 355, no qual os bispos adeptos da doutrina ariana tentaram forçá-lo a votar pela condenação do bispo de Alexandria, santo Atanásio. Eusébio, além de discordar do arianismo considerou a votação uma covardia, pois Atanásio, sempre um fiel guardião da verdadeira doutrina católica, estava ausente e não podia defender-se. Como ficou contra a condenação, ele e outros bispos foram condenados ao exílio na Palestina.

Porém isso não o livrou da perseguição dos hereges arianos, que infestavam a cidade. Ao contrário, sofreu muito nas mãos deles. Como não mudava de posição e enfrentava os desafetos com resignação e humildade, acabou preso, tendo sido cortada qualquer forma de comunicação sua com os demais católicos. Na prisão, sofreu ainda vários castigos físicos. Contam os escritos que passou, também, por um terrível suplício psicológico.

Quando o povo cristão tomou conhecimento do fato, ergueu-se a seu favor. Foram tantos e tão veementes os protestos que os hereges permitiram sua libertação. Contudo o exílio continuou e ele foi mandado para a Capadócia, na Turquia e, de lá, para o deserto de Tebaida, no Egito, onde foi obrigado a permanecer até a morte do então imperador Constantino, a quem sucedeu Juliano, o Apóstata, que deu a liberdade a todos os bispos presos e permitiu que retomassem as suas dioceses.

Depois do exílio de seis anos, Eusébio foi o primeiro a participar do Concílio de Alexandria, organizado pelo amigo, santo Atanásio. Só então passou a evangelizar, dirigindo-se, primeiro, a Antioquia e, depois, à Ilíria, onde os arianos, com sua doutrina, continuavam confundindo o povo católico. Batalhou muito combatendo todos eles.

Mais tarde, foi para a Itália, sendo recepcionado com verdadeira aclamação popular. Em seguida, na companhia de santo Hilário, bispo de Poitiers, iniciou um exaustivo trabalho pela unificação da Igreja católica na Gália, atual França. Somente quando os objetivos estavam em vias de serem alcançados é que ele voltou à sua diocese em Vercelli, onde faleceu no dia 1o. de agosto de 371.

Apesar de ser considerado mártir pela Igreja, na verdade santo Eusébio de Vercelli não morreu em testemunho da fé, como havia ocorrido com seu pai. Mas foram tantos os seus sofrimentos no trabalho de difusão e defesa do cristianismo, passando por exílios e torturas, que recebeu esse título da Igreja, cujo mérito jamais foi contestado. Com a reforma do calendário litúrgico de Roma, de 1969, sua festa foi marcada para o dia 2 de agosto. Nesta data, as suas relíquias são veneradas na catedral de Vercelli, onde foram sepultadas e permanecem até os nossos dias.

                                     Santo Eusébio de Vercelli, rogai por nós!


Feliz quem se apoia no Deus de Jacó! . Sl 145

Ano B – Dia: 02/08/2012
Sl 145,1-2. 3-4. 5-6 (R.5a)
R. Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!
1 Bendize, minh’alma, ao Senhor!
2 Bendirei ao Senhor toda a vida,
cantarei ao meu Deus sem cessar!

R. Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!
 
3 Não ponhais vossa fé nos que mandam,
não há homem que possa salvar.
4 Ao faltar-lhe o respiro ele volta
para a terra de onde saiu;
nesse dia seus planos perecem.

R. Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!
 
5 É feliz todo homem que busca
seu auxílio no Deus de Jacó,
e que põe no Senhor a esperança.
6 O Senhor fez o céu e a terra,
fez o mar e o que neles existe.

R. Feliz quem se apoia no Deus de Jacó!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo, como era no principio, agora e sempre . Amém!

0 comentários :