domingo, 17 de março de 2013

Liturgia Diária - Evangelho, Salmo e Santo do dia

Maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria! Sl 125

Ano C – Dia: 17/03/2013
Sl 125,1-2ab.2cd-3.4-5.6
R. Maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria!
1 Quando o Senhor reconduziu nossos cativos,
parecíamos sonhar;
2a encheu-se de sorriso nossa boca,
2b nossos lábios, de canções.

R. Maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria!

2c Entre os gentios se dizia: ‘Maravilhas
2d fez com eles o Senhor!’
3 Sim, maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria!

R. Maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria!

4 Mudai a nossa sorte, ó Senhor,
como torrentes no deserto.
5 Os que lançam as sementes entre lágrimas,
ceifarão com alegria.

R. Maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria!

6 Chorando de tristeza sairão,
espalhando suas sementes;
cantando de alegria voltarão,
carregando os seus feixes!

R. Maravilhas fez conosco o Senhor,
exultemos de alegria!

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo, como era no principio, agora e sempre. Amém!


“De agora em diante, não peques mais” – Jo 8,1-11 
  

 ANO C – DIA 17/03/13
‘Quem dentre vós não tiver pecado, seja
o primeiro a atirar-lhe uma pedra.’
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 8,1-11
 
1 Jesus foi para o monte das Oliveiras.

2 De madrugada, voltou de novo ao Templo.
Todo o povo se reuniu em volta dele.
Sentando-se, começou a ensiná-los.

3 Entretanto, os mestres da Lei e os fariseus
trouxeram uma mulher surpreendida em adultério.
Colocando-a no meio deles,

4 disseram a Jesus: ‘Mestre,
esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério.

5 Moisés na Lei mandou apedrejar tais mulheres.
Que dizes tu?’

6 Perguntavam isso para experimentar Jesus
e para terem motivo de o acusar.
Mas Jesus, inclinando-se,
começou a escrever com o dedo no chão.

7 Como persistissem em interrogá-lo,
Jesus ergueu-se e disse:
‘Quem dentre vós não tiver pecado,
seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra.’

8 E tornando a inclinar-se,
continuou a escrever no chão.

9 E eles, ouvindo o que Jesus falou,
foram saindo um a um,
a começar pelos mais velhos;
e Jesus ficou sozinho,
com a mulher que estava lá, no meio do povo.

10 Então Jesus se levantou e disse:
‘Mulher, onde estão eles?
Ninguém te condenou ?’

11 Ela respondeu: ‘Ninguém, Senhor.’
Então Jesus lhe disse:’Eu também não te condeno.
Podes ir, e de agora em diante não peques mais.’

Palavra da Salvação.


Santa Gertrudes de Nivelles

17 de março

Gertrudes nasceu no povoado de Brabante, na cidade de Nivelles, Bélgica, no ano 626. Seu pai era Pepino de Landen, um homem rico e influente, descendente de Carlos Magno. Sua mãe era Ida, nobre e muito religiosa, que depois da morte do marido, fundou o duplo mosteiro de Nivelles, masculino e feminino, dos quais foi a abadessa até a morte. As filhas Gertrudes e Begga também fizeram os votos e vestiram o hábito, passando a viver no mosteiro, ao seu lado. Após a morte da abadessa, Gertrudes foi eleita a sucessora, tinha apenas vinte anos de idade. Mas, como o poder não a atraia, delegou-o a um dos monges, que passou a administrar ambos os mosteiros, enquanto ela ficou apenas com o título.

Gertrudes reservou para si a tarefa de instruir Irmãos e Irmãs, preparando-os na fé e motivando-os para a difusão da Palavra de Cristo. Isso significava um enorme esforço de sua parte pois viviam numa época de ignorância, e superstições. Um eclipse, por exemplo, era considerado um fenômeno sobrenatural e motivo de alarde para todos os camponeses, mesmo os instruídos na fé cristã.

Ela iniciou com vigor um grande processo de reformulação de ambos os mosteiros, chamando, da Irlanda, monges teólogos, os mais versados nas Sagradas Escrituras, para fundamentar essa reciclagem. Empregou toda a fortuna da família, bem como utilizou toda sua influência para esse intento. Mandou, vários emissários a Roma para trazerem livros, não só de cunho litúrgico, ampliando muito a biblioteca. A missão de Gertrudes se tornara uma luta para a difusão da doutrina católica através da instrução e pôde retirar o véu da ignorância que envolvia tanto o clero como os habitantes em geral.

Com tanta sabedoria e predisposição para a santidade, ela adquiriu muitos dons especiais tendo visões, revelações e graças, durante suas orações contemplativas, seguidas de jejuns e penitências constantes. Devota de Maria e Jesus Crucificado, seus sacrifícios eram pelas almas do purgatório, que lhe apareciam durante as orações sob a forma de ratos negros, mas ao final se transformavam em dourados, simbolizando sua salvação pela Misericórdia de Deus. Essas visões ela comentava com as monjas, estimulando as preces à essas almas abandonadas. Por isso, nas suas representações existe sempre um rato ao seu redor. Os devotos, ainda hoje, a evoca contra as invasões de ratos e o medo que eles provocam.

Entretanto, o que mais a destacava era a sua profunda capacidade de compreender os anseios das almas. Por isso, Gertrudes se revelou uma eficaz pacificadora, ao interpelar os “senhores” locais que guerreavam entre si. Suas palavras, dotadas de sabedoria e autoridade, traziam constrangimento à eles, que partiam para o diálogo e conciliação.

As guerras pacificadas e o alívio ao povo sofrido fortaleceram sua fama de santidade em vida e gerou muitas tradições e venerações populares. Quando uma guerra era apaziguada, os oponentes brindavam juntos com o excelente vinho daquela região. O povo chamava a bebida de “Filtro de Santa Gertrudes”, pois segundo a crença, a bebida era um “remédio” contra a guerra e o ódio.

Ela morreu em Nivelles, no dia 17 de março de 659, aos trinta e três anos e o seu culto foi imediato. Entretanto, o precioso relicário que continha seus restos mortais foi destruído num bombardeio, em 1940, que atingiu a basílica que o guardava. O que não diminuiu em nada sua veneração no mundo católico, que continua festejando Santa Gertrudes nesse dia.

Santa Gertrudes de Nivelles, rogai por nós!

0 comentários :