sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Liturgia Diária - Evangelho, Salmo e Santo do dia

Leitura da Primeira Carta de São Pedro . (5,1-4)

Ano C – Dia: 22/02/2013
1ª Leitura – 1Pd 5,1-4
Eu, presbítero como eles,
testemunha dos sofrimentos de Cristo.
Leitura da Primeira Carta de São Pedro 5,1-4
Caríssimos:

1 Exorto aos presbíteros que estão entre vós,
eu, presbítero como eles,
testemunha dos sofrimentos de Cristo
e participante da glória que será revelada:

2 Sede pastores do rebanho de Deus, confiado a vós;
cuidai dele, não por coação, mas de coração generoso;
não por torpe ganância, mas livremente;

não como dominadores daqueles que vos foram confiados,
mas antes, como modelos do rebanho.

4  Assim, quando aparecer o pastor supremo,
recebereis a coroa permanente da glória.

Palavra do Senhor.


Santa Margarida de Cortona 


22 de fevereiro

A penitência marcou a vida de Margarida que nasceu em 1247, em Alviano, Itália. Foi por causa de sua juventude, período em que experimentou todos os prazeres de uma vida voltada para as diversões mais irresponsáveis.

Margarida ficou órfã de mãe, quando ainda era muito criança. O pai se casou de novo e a pequena menina passou a sofrer duramente nas mãos da madrasta. Sem apoio familiar, ela cresceu em meio a toda sorte de desordens, luxos e prazeres. No início da adolescência se tornou amante de um nobre muito rico e passou a desfrutar de sua fortuna e das diversões mundanas.

Um dia, porém, o homem foi vistoriar alguns terrenos dos quais era proprietário e foi assassinado. Margarida só descobriu o corpo, alguns dias depois, levada misteriosamente até ele pela cachorrinha de estimação que acompanhara o nobre na viagem. Naquele momento, a moça teve o lampejo do arrependimento. Percebeu a inutilidade da vida que levava e voltou para a casa paterna, onde pretendia passar o resto da vida na penitência.

Para mostrar publicamente sua mudança de vida, compareceu à missa com uma corda amarrada ao pescoço e pediu desculpas a todos pelos excessos da sua vida passada. Só que essa atitude encheu sua madrasta de inveja, que fez com que ela fosse expulsa da paróquia. Margarida sofreu muito com isso e chegou a pensar em retomar sua vida de luxuria e riqueza. No entanto, com firmeza conseguiu se manter dentro da decisão religiosa, procurando os franciscanos de Cortona e conseguindo ser aceita na Ordem Terceira.

Para ser definitivamente incorporada à Ordem teria que passar por três anos de provação. Foi nesta época que ela se infligiu as mais severas penitências, que foram vistas como extravagantes, relatadas nos antigos escritos, onde se lê também que a atitude foi tomada para evitar as tentações do demônio. Seus superiores passaram a orienta-la e isso a impediu de cometer excessos nas penitências.

Aos vinte e três anos Margarida de Cortona, como passou a ser chamada, foi premiada com várias experiências de religiosidade que foram presenciadas e comprovadas pelos seus orientadores espirituais franciscanos. Recebeu visitas do anjo da guarda, teve visões, revelações e mesmo aparições de Jesus, com quem conversava com freqüência durante suas orações contemplativas.

Ela percebeu que o momento de sua morte se aproximava e foi ao encontro de Jesus serenamente, no dia 22 de fevereiro de 1297. Margarida de Cortona foi canonizada pelo Papa Bento XIII em 1728 e o dia de sua morte indicado para a sua veneração litúrgica.

Santa Margarida de Cortona, rogai por nós!


Pedro reconhece o Filho de Deus – Mt 16,13-19


Ano C – Dia: 22/02/2013
Tu és Pedro e eu te darei as
chaves do Reino dos Céus.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 16,13-19
 
13 Jesus foi à região de Cesaréia de Filipe
e ali perguntou aos seus discípulos:
“Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”

14 Eles responderam:
“Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias;
Outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”.

15 Então Jesus lhes perguntou:
“E vós, quem dizeis que eu sou?”

16 Simão Pedro respondeu:
“Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.

17 Respondendo, Jesus lhe disse:
“Feliz es tu, Simão, filho de Jonas,
porque não foi um ser humano que te revelou isso,
mas o meu Pai que está no céu.

18 Por isso eu te digo que tu és Pedro,
e sobre esta pedra construirei a minha Igreja,
e o poder do inferno nunca poderá vencê-la.

19 Eu te darei as chaves do Reino dos Céus:
tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus;
tudo o que tu desligares na terra
será desligado nos céus”.

Palavra da Salvação.


Naquele dia em que gritei, vós me escutastes, ó Senhor!. Sl 137

Ano C – Dia: 21/02/2013
Sl 137, 1-2a. 2bc-3. 7c-8
R. Naquele dia em que gritei, 
vós me escutastes, ó Senhor!.
1 Ó Senhor, de coração eu vos dou graças,
porque ouvistes as palavras dos meus lábios!
Perante os vossos anjos vou cantar-vos
2a e ante o vosso templo vou prostrar-me.

R. Naquele dia em que gritei, 
vós me escutastes, ó Senhor!.

2b Eu agradeço vosso amor, vossa verdade,
2c porque fizestes muito mais que prometestes;
3 naquele dia em que gritei, vós me escutastes
e aumentastes o vigor da minha alma.

R. Naquele dia em que gritei, 
vós me escutastes, ó Senhor!.

7c estendereis o vosso braço em meu auxílio
e havereis de me salvar com vossa destra.
8 Completai em mim a obra começada;
ó Senhor, vossa bondade é para sempre!
Eu vos peço: não deixeis inacabada
esta obra que fizeram vossas mãos!

R. Naquele dia em que gritei, 
vós me escutastes, ó Senhor!. 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espirito Santo, como era no principio, agora e sempre. Amém!

0 comentários :